BVPS divulga | Lançamento e live de “Coros, contrários, massa”, de Flora Sussekind

A BVPS divulga o lançamento do livro Coros, contrários, massa, da ensaísta e crítica literária Flora Süssekind, na qual são analisadas o que se chama de manifestações corais no Brasil. Haverá uma live com a autora no dia 01 de setembro, às 19h30, no canal de Youtube da Cepe Editora, contando com a presença de Schneider Carpeggiani (editor do Pernambuco) e Victor da Rosa (UFOP). Aproveitamos para convidar também para o lançamento presencial do livro no dia 13 de setembro, às 19h, na Janela Livraria (Rio de Janeiro).

Abaixo, deixamos o release do livro.


“Este é e não é o livro sobre o coro a que venho me dedicando há bem mais de uma década. Expõe, a seu modo, muito desse percurso, optando, no entanto, por foco diverso.” É com essa fala que a ensaísta e crítica literária carioca Flora Süssekind apresenta ao leitor a sua nova obra, Coros, Contrários, Massa, a ser lançada pela Companhia Editora de Pernambuco (Selo Pernambuco-Cepe Editora) em 13 de setembro próximo. O título, o primeiro que ela publica após um intervalo de mais de 20 anos, examina a sociedade brasileira pela literatura e pela arte contemporânea a partir dos anos 1980, com a abertura política.

Coros, Contrários, Massa tem 664 páginas divididas em 20 textos e dois ensaios inéditos nos quais Flora Süssekind analisa as relações da literatura moderna brasileira com outros símbolos, como rádio, cinema, música e teatro. A leitura é feita a partir de trabalhos de autores consagrados, a exemplo João Guimarães Rosa, Clarice Lispector e João Cabral de Melo Neto, e outros mais novos, como a escritora Veronica Stigger, o artista Nuno Ramos e a atriz e dramaturga Grace Passô. No livro, a autora traz reflexões sobre o recente conservadorismo e as manifestações neofascistas que vêm se espalhando pelo país desde o impeachment da então presidente da República Dilma Roussef.

“O foco, neste livro, está, portanto, em coralidades que não emergem exclusivamente do âmbito teatral ou épico, mas que se apresentam como força estruturante ou instabilizadora em práticas artístico-literárias e em circunstâncias históricas particulares. Houve interesse em observá-las em contexto bastante específico (ao qual se emprestam, entretanto, interações retrospectivas) — o da conjuntura brasileira atual, registrando, via coralizações, as mudanças e uma politização mais enfática nas formas de intervenção cultural frente à expansiva investida conservadora que se vive no país durante a última década”, escreve Flora Süssekind em trecho da publicação.

De acordo com o jornalista Schneider Carpeggiani, editor do Pernambuco – jornal literário da Cepe – e coordenador do Selo Pernambuco, Coros, Contrários, Massa reflete a produção das três últimas décadas de Flora Süssekind, que é professora do curso de Estética e Teoria do Teatro na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e atuou como pesquisadora da Fundação Casa de Rui Barbosa até 2020. “Nada parece escapar ao desejo de Süssekind de flagrar e repensar o incômodo de uma época em que ‘é inútil apertar os ouvidos’”, destaca Schneider.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s